15 de julho de 2015

»Colocando o Chapéu Seletor em Autores Famosos

Putting the Sorting Hat on your favorite authors
Em uma entrevista, ano passado, John Green defendeu a Lufa-Lufa e se declarou orgulhoso de ser um Lufano. Mas e os outros autores? Em qual casa o Chapéu Seletor teria colocado Tolkien ou Riordan? Esse artigo trás algumas características de cada autor e seleciona a casa na qual eles se encaixariam melhor.  
1. F Scott Fitzgerald: O escritor por trás do clássico O Grande Gatsby é um dos muitos autores que se adaptariam perfeitamente a casa Corvinal. Seu primeiro livro foi publicado quando ele tinha apenas 13 anos, Gatsby é citada por muitos como tendo previsto a Grande Depressão, em 1929.

2. J.R.R. Tolkien: Construtor de mundo extremamente original e muito talentoso, Tolkien é o Corvinal perfeito. Sua sagacidade e natureza espiritual fariam dele um estudante clássico da Corvinal.

3. C.S. Lewis: Lewis é definitivamente um Corvinal. Ele é profundamente pensativo e reflexivo, inteligente, criativo e espiritual. A natureza alegórica de seus romances parece distintamente de um Corvinal.

4. Cassandra Clare: A incrível autora por trás dos famosos livros Instrumentos Mortais provavelmente se encaixam na Sonserina. Sua ambição para ter seu trabalho publicado e grande quantidade de fã parecem característica da casa de Salazar.

5. Suzanne Collins: Articular, experiente e filosófica, os livros de Collins tratam de assuntos políticos de forma criativa. Suas habilidades criativas e intelectuais adequam-a a casa Corvinal perfeitamente. 

6. Veronica Roth: Roth é claramente uma Lufana, ela é leal a seus fãs, sempre pronta para responder a perguntas ou postar uma foto em seu Tumblr. Suas atitudes doces pertencem a Lufa-Lufa.

7. Rick Riordan: O homem por trás Percy Jackson é definitivamente um Grifinório. Seus personagens são mal-humorados, ágeis, e leais uns aos outros - os livros parecem ser o tipo de série que um Grifinório gostaria de escrever.


»Curiosidades

O Chapéu Seletor não aparece nos primeiros planos de Hogwarts. Rowling pensou em diversas maneiras diferentes para selecionar os alunos. A primeira maneira era uma máquina elaborada à la Heath Robinson que faria todo tipo de coisa mágica antes de chegar a uma decisão, parecia ao mesmo tempo muito complicada e muito fácil.

Depois ela teve a ideia de quatro estátuas dos fundadores no Hall de entrada, que ganhavam vida e selecionavam os estudantes da multidão em frente a eles enquanto a escola assistia. Essa era melhor, mas não estava certa ainda.

Finalmente, escreveu uma lista das maneiras que as pessoas podem ser escolhidas: uni-duni-tê, pelo palito mais curto, pelo capitão do time, nomes de dentro de um chapéu – nomes de dentro de um chapéu falante – colocando um chapéu – o Chapéu Seletor.

0 Corujas:

Postar um comentário